Uma parceria da Prefeitura de Passos com o Ministério da Saúde vai acabar com a fila de mais de duas mil pessoas que aguardam uma cirurgia eletiva na cidade, que são as operações de menor potencial de gravidade e que podem ser agendadas de acordo com a programação da Secretaria Municipal de Saúde em conjunto com a Santa Casa. Os custos serão totalmente pagos pelo ministério, segundo o prefeito Ataíde Vilela, que fez a adesão de Passos ao programa do governo federal. A meta do prefeito é zerar a fila de pacientes até junho do ano que vem.

“A Prefeitura vai liberar todas as cirurgias e zerar a fila, vamos atender todas as demandas dos últimos anos”, afirma Ataíde. “Esse benefício se deve a uma parceria que fizemos com o Ministério da Saúde a partir de um trabalho com a equipe da Secretaria Municipal de Saúde e a Santa Casa de Passos”, acrescentou o prefeito. Para iniciar os procedimentos, a Santa Casa está apenas aguardando o ministério publicar a destinação da verba para cada especialidade, com base no planejamento apresentado pela Secretaria de Saúde.

Em Passos, as cirurgias eletivas serão feitas pela Santa Casa, a partir do agendamento dos pacientes pela Secretaria de Saúde. Segundo Ataíde, por não ter custo para o Município, a parceria veio em boa hora. “É a solução de um problema enfrentado há anos e de certa forma vai aliviar o Município, pois o Ministério da Saúde irá arcar com todas as despesas. É uma grande conquista para o Município, para a Santa Casa e principalmente para os cidadãos”, disse.

De acordo com o secretário interino de Saúde, Gilberto Lopes Cançado, o Betaca, a fila por uma cirurgia eletiva (catarata, útero, amígdala, joelho e outras) tem mais de duas mil pessoas e todas deverão ser operadas até a metade de 2014. O secretário ressalta, no entanto, que ninguém precisa procurar a secretaria, porque todos serão avisados em casa. “Os pacientes não têm que se preocupar com nada, porque eles já estão cadastrados. Vão ser chamados gradualmente, de acordo com a ficha de cada um e de acordo com a capacidade da Santa Casa.

O diretor executivo da Santa Casa, Daniel Porto Soares, destaca um dado importante na parceria entre o Ministério da Saúde e a Prefeitura, que é determinação de atender todos os pacientes que precisam ser operados, sem limitação financeira ou quantitativa. “Cada município apresentou a sua demanda, o que totalizou 5.800 cirurgias para a microrregião de Passos, em todas as especialidades. Mas o mais importante é o ministério possibilitar os hospitais a atenderem os pacientes com qualidade”, disse o diretor.